faixa40

Voltar a pagina principal

Urucum

https://img-21.ccm2.net/zbgY8HajkLTZMq3S9akB-tbSSy4=/6eeb75e4dca044c8b768f3c5c345ab3a/ccm-faq/1366730.jpg

 

Nome popular: Urucum, Urucu, Urucuzeiro, Açafrão, Falso-açafrão

Nome científico: Bixa orellana L.

Família: Bixaceae.

Origem: América Tropical, incluindo Amazônia brasileira.

Propriedades: Estomáquica (favorece a digestão), tonificante do aparelho gastrointestinal, antidiarréica, antifebril (combate a febre), e antigripal.

Características: Arbusto grande ou árvore pequena, de 3 a 5 metros de altura. Flores róseas muito vistosas. Seu fruto é coberto por espinhos flexíveis de cor vermelha, esverdeada ou parda, com sementes de cor vermelha, de odor característico. É cultivada para uso doméstico e industrial, principalmente no Peru e em menor escala no Brasil, Paraguai e Bolívia.

O pigmento das sementes é usado desde os tempos remotos pelos indígenas do Brasil para pintar a pele, como ornamento ou como proteção contra insetos e queimaduras por exposição ao sol. É também amplamente utilizado como corante de alimentos (colorau) na cozinha nordestina.

O extrato concentrado das sementes do urucu é utilizado pela indústria de enlatados de carne, margarina e cosméticos, em substituição aos corantes sintéticos. É empregado também para melhorar a coloração das gemas dos ovos, bem como na coloração de assoalhos. Os níveis de vitamina A pequenos quando comparados com outras fontes.

Parte usada: Sementes.

Usos: As sementes são referidas na literatura etnofarmacológica como medicação estomáquica (favorece a digestão), tonificante do aparelho gastrointestinal, antidiarréica, antifebril (combate a febre), bem como para o tratamento caseiro das palpitações do coração, crises de asma, coqueluche e gripe.

Forma de uso / dosagem indicada: Empregado na medicina popular na forma de chá ou maceradas em água fria, ou ainda como xarope nos casos de faringite e bronquite.

A massa semi-sólida obtida da maceração das sementes é usada externamente no tratamento de queimaduras, especialmente para evitar a formação de bolhas e internamente como afrodisíaca, enquanto o cozimento das folhas (decocto) é bebido para atenuar os enjôos da gravidez. Estas propriedades, no entanto, não foram ainda confirmadas pela ciência.

Referências bibliográficas:
Lorenzi, H. et al. 2002. Plantas Medicinais no Brasil.
Vieira, L. S. 1992. Fitoterapia da Amazônia.

05/11/2015 10h16 - Atualizado em 05/11/2015 10h16

Chá de urucum pode ser ingerido gelado, quente ou com folhas frescas

Bebida é usada para cicatrizar feridas estomacais, diminuir o índice de colesterol e para tratamento de gripes e resfriados.

Chá de urucum pode ser ingerido gelado, quente ou com folhas frescas (Foto: Toni Mendes/TG)

Walterly Accorsi, fitoterapeuta, ensina a preparar chá de urucum e bebida à base da planta (Toni Mendes/TG)

RECEITAS COM URUCUM

CHÁ GELADO

Ingredientes
- 1 copo de água
- 1 colher (sobremesa) de semente de urucum

Modo de fazer
- Coloque as sementes em um copo de água e deixe em imersão por um dia.
- Retire as sementes com um coador.
A bebida é usada para cicatrização de feridas estomacais e diminuição do colesterol.


CHÁ QUENTE

Ingredientes
- 1 copo de água
- 1 colher (sobremesa) de semente de urucum

Modo de fazer
- Coloque as sementes em uma chaleira com água fervente. Deixe ferver mais um pouco.
- Desligue e abafe o recipiente com um pires por 5 minutos. Coe.
- Tomar o chá ao longo do dia por até 12 horas. Após esse tempo, princípios ativos são perdidos.
A bebida é usada para cicatrização de feridas estomacais e diminuição do colesterol.


CHÁ COM AS FOLHAS

Ingredientes
- 1 litro de água
- 1 colher (sobremesa) com folhas secas de urucum ou 10 folhas in natura.

Modo de fazer
- Coloque as folhas em uma chaleira com água fervente. Deixe ferver mais um pouco.
- Desligue e abafe o recipiente com um pires por 5 minutos. Coe.
O chá da folha de urucum é usado para tratar gripes, resfriados e congestão nasal.

Durante toda uma geração, o urucum foi associado a uma planta que ajudava a dar uma pigmentação de tom vermelho-alaranjado à pele. A planta nativa das florestas tropicais da América do Sul,  cujo nome científico é bixa orellana (bixaceae) começa  a expandir sua fama de conter diversos benefícios para a saúde.

"Nos anos 80, a semente do urucum era comumente encontrada como componente de óleo de bronzear. Atualmente, já há uma série de estudos científicos associando a semente deste fruto a propriedades medicinais", esclarece a nutricionista funcional Carla Ribeiro.

Sejam as sementes secas, a polpa fresca, a flor ou até as folhas da árvore que dá o urucum, a ideia de associar esta planta à funcionalidades terapêuticas começou quando Phyllis Balch citou a planta em seu livro Prescription for Nutritional Healing (Receitas para Cura Nutricional, numa tradução livre). Segundo a puplicação, o urucum é rico em minerais como cálcio, ferro e fósforo.

Urucum: fitoquímicos são o segredo

Outro destaque para as propriedades do urucum são a presença de substâncias fitoquímicas, que nada mais são que compostos encontrados na natureza das plantas, capazes de prevenir e tratar doenças em organismos humanos.

Nas plantas, como é o caso do urucum, esses elementos fitoquímicos são os aqueles desenvolvidos para proteger as plantas dos excessos de gases, quando realizam a retenção do dióxido de carbono para liberarem oxigênio.

"Os estudos para comprovar a eficácia medicinal de algumas plantas observaram que, para se protegerem, as plantas  desenvolveram componentes antioxidantes, que são essas substâncias fitoquímicas. E elas, quando utilizada por humanos, ajudaria a combater os radicais-livres", explica a nutricionista.

Urucum faz bem para os olhos

Além dos fitoquímicos, o urucum também é rico em vitaminas do complexo B, vitamina C e betacaroteno. Este último, seria o principal responsável não só pelos benefícios do urucum para a pele, mas também para a proteção das funções oculares.

"Há estudos que apontam o betacaroteno, associado com zinco e outras vitaminas, à prevenção da perda de visão em pessoas com degeneração ocular associadas ao envelhecimento (a vista cansada)", diz Carla.

Alguns estudos também indicam o urucum como eficaz na redução do mau colesterol. Além de identificarem um poder cicatrizante e de regenerador da pele. 

"Quanto ao emagrecimento, não há ainda pesquisas conclusivas que possam confirmar a atuação do urucum na redução de peso. Mas de certo suas propriedades antioxidantes ajudam a eliminar as toxinas e, assim, podem diminuir o inchaço", completa a nutricionista.

O urucum é vendido em cápsulas em lojas de suplementos alimentícios e produtos naturais. Mas sua semente, principalmente em forma moída, é muito utilizada como colorante natural de alimentos. Na cozinha, portanto, use em molhos e sopas.

 

 

 

 

Pedido Fone  43 3325 5103