faixa40

Voltar ao menu principal

UMBUZEIRO

 

Resultado de imagem para umbuzeiro"

Resultado de imagem para umbuzeiro"

Resultado de imagem para umbuzeiro"

Resultado de imagem para umbuzeiro"

O Umbuzeiro

“Umbuzeiro é a árvore sagrada do sertão. Sócio fiel das rápidas horas felizes e longos dias amargos dos vaqueiros. Representa o mais frisante exemplo de adaptação da flora sertaneja.” (Euclides da Cunha em “Os sertões”).

O umbuzeiro (Spondias tuberosa) é uma planta xerófila, pertence à família das Anacardiáceas, nativa do Nordeste brasileiro. É uma árvore de crescimento lento, excessivamente esgalhada, formando copa baixa, densa, com tronco retorcido, ramos tortuosos e cobertos de bastante folhagem podendo chegar até dez metros de diâmetro, atingindo às vezes oito metros de altura.

O sistema radicular possui uma estrutura de túbera ou batata denominada de xilopódio, o qual é constituído de tecido que armazena água, mucilagem, glicose, tanino, amido, ácidos, entre outras, utilizado pelo sertanejo nos períodos de estiagem.

A frutificação ocorre no início das chuvas e é abundante, sendo que o rendimento por hectare varia com a idade e densidade de plantas, com a condição ambiental e a genética das plantas. De um modo geral uma planta pode produzir de 50 a mais de 300 kg de frutos por ano.

O umbu pode ser consumido “in natura”, em forma de doce, geléia, suco, licor, vinagre e outras diversidades de produtos. Ademais, o umbu é uma das maiores fontes de vitamina C de que dispõe a população nos trechos mais agrestes da zona semi-árida nordestina, sendo utilizado também para alimentação animal, sobretudo de caprinos e ovinos, além de animais silvestres.

Quando comercializado, o umbu se constitui em uma importante fonte de renda para o sustento das famílias do semiárido, principalmente nos longos períodos de estiagem, mantendo uma estreita relação sócio e econômica com a população, envolvendo a alimentação humana e animal.

Tradicionalmente, muitas plantas da caatinga são utilizadas pelos agricultores como medicinais. Em cada região do Sertão nordestino, sempre há uma receita que nos momentos difíceis ajudam os agricultores a amenizar as enfermidades. Embora poucas plantas tenham sua eficiência comprovada pela medicina tradicional, os chás e outros preparos têm sido usados intensivamente pelos agricultores. São diversas recomendações de plantas que curam diarréias, febre, reumatismo, dor de cabeça, gripe, tosse, contusões, etc. Quem ainda não tomou um pouco de mastruz com leite para curar alguma enfermidade, principalmente, as contusões e fraturas. Quem ainda não tomou um lambedor de manjericão com mel de abelha para facilitar a expectoração. Nada mais saudável do que um chá de capim santo e cidreira. São tantas recomendações que muitas vezes somos surpreendidos pela eficiência dessas receitas. Quem ainda não tomou um chá de erva doce, alecrim e cravo da índia para acabar com a labirintite. Na fotografia podemos ver uma agricultora e sua neta retirando galhos de uma planta de umbuzeiro para produção de chá. Segundo os agricultores a casca do umbuzeiro é utilizada como desinfetante, cicatrizante e anti-inflamatório. broto é utilizado na forma de chá para problemas intestinais. O chá da folha madura é excelente para gripes, resfriados e bronquites.F.F