Voltar ao menu principal

PIÇÃO

 

http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcT6OOAIfdnfsifD4ZTqBtCH5RjK1AaKwxlGAA2G-tarclXKiKmPkQ

http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRsQs65Nq0js_nBH8EZiYe4BmFXWkVbLCZvORE1Pbfx44ejEwSc_g

http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRZrj2nMsjhntY0r9SHSVbWcD1Jf-yrXQGxBomma0MAr51JeBNY

http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSHHuU5aWgd8h5v5TAkJChIAtgbAPyQOQ0ZwjTuLKuvhLYOBcB6Ew

PICÃO

Bidens pilosa.

 

Descrição : Da família das Compostas. Erva anual que floresce em todo o  Brasil  e tem caule ereto, quadrangular, até l,5cm de altura, ramosa, glabra, às vezes pouco pubescente, ramos opostos; suas folhas pecioladas, opostas, superiores às alternas, deltóides, até 10 cm de comprimento, membranosas, simples ou decompostas, 3-5 pinadas, segmentos ovais até lanceolados, agudos ou acuminados, serrados, capítulos poucos, pedunculados, reunidos em corimbos frouxos de 30 e até 40  flores , amareladas ou brancacentas e perfumadas. Invólucro campanulado, escamas exteriores em geral foliáceas, quase sempre as interiores mais curtas, membranosas, brancacentas e ciliadas nas margens, A planta inteira oferece duas resinas e tanino. As resinas são aromáticas, sendo uma ácida e outra neutra, amarga, raucilginosa, estimulante, desobstruente, antis-corbútica, odontálgica (principalmente a raiz), sialagoga, anti-disentérica, antileucorrétca, vermífuga e vulnerária; recomendada também contra a icterícia e a diabete, útil também nas inflamações da garganta, das feridas que apresentem mau caráter, e nos engurgitamentos das glândulas mamarias. Comestível, usada como "legume" no Congo Belga e no Transwaal, pelos indígenas e até mesmo por alguns europeus. Considerada "erva-má", porque devasta as plantações, porém, apreciada pelos  animais  que dela fazem grande uso. Contém matéria azotada, matéria graxa, matéria não-azotada, matéria fibrosa, matéria mineral, cálcio, ácido silícico, ácido fosfórico, óxido de potássio e areia. Vegeta nos terrenos baldios ou expostos assim como nos campos de preferência silicosos. Conhecida também como macela--do-campo, erva-picão, picão-do-campo, picão-preto, piolho-de--padre.

Partes Utilizadas - Toda a planta.

Propriedades : Vulnerária, antidesentérica e hepática.

Indicações : Muito usado na forma de chá para combater icterícia e hepatite. Tanto para uso interno como para banhos, o picão é muito conhecido pelos que procuram nas plantas o remédio.

Principios Ativos : Terpenos, carotenóides, glicosídios, fitosteróides, poliacetilenos e ácido nicotínico.

Modo de usar : infusão de 1 xícara de café da planta picadas em 1/2 litros de água. Tomar 1 xícara de chá a cada 4 horas para o uso geral.  Banho  - utilizar a infusão 2 vezes ao dia.

Contra-indicações/cuidados: não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Modo de usar: infusão de uma colher das de sopa (5g) da erva em ½ litro de água fervente. Tomar 2 a 3 xícaras ao dia: hepatite, icterícia, diabete, verminose; 
infusão de uma xícara das de cafezinho da planta picada em ½ litro de água. Tomar 1 xícara das de chá a cada 4 horas; gargarejo: amigdalite e faringite; compressas (pode-se usar o suco da planta, ao invés da infusão): feridas, úlceras, hemorróidas, assaduras e picadas de insetos; 
decocção (para uso externo) de 10 colheres das de chá de folhas em 1 litro de água: abluções, compressas tópicas ou gargarejos; 
- suco de folhas frescas, contusas. Cmpressas em feridas e úlceras; 
- banho: utilizar a decocção acima, 2 vezes ao dia: vulnerário e anti-séptico.

Referência :

A Cura pelas Ervas e Plantas Medicinais Brasileiras - Ricardo Lainetti e Nei R. Seabra de Britto - Editora Ediouro. 1979.
Plantas que Curam - Cheiro de Mato. Sylvio Panizza - IBRASA. 1997.
CIAGRI - Banco de plantas medicinais, aromáticas e condimentares da Universidade do Estado de São Paulo.

O Picão-preto é uma planta medicinal, também conhecida popularmente por Picão, Pica-pica ou Amor de mulher, utilizada para tratar inflamações, como artrite, dor de garganta ou dor muscular, por exemplo, devido às suas excelentes propriedades anti-inflamatórias.

Normalmente, o Picão-preto cresce nas regiões quentes da América do Sul e, por isso, é muito frequente no Brasil, especialmente em jardins limpos, sem produtos tóxicos e longe das ruas. O Picão-preto é uma planta pequena que apresenta um caule verde escuro e folhas ligeiramente mais claras.

O nome científico do Picão-preto é Bidens pilosa e a planta pode ser comprada em lojas de produtos naturais, feiras livres e alguns supermercados.

 

Para que serve

O Picão-preto serve para ajudar no tratamento de inflamações como reumatismo, dor de garganta, amigdalite, faringite, hepatite e cólica menstrual, por exemplo.

Além disso, o Picão-preto também pode ser usado para o tratamento da tosse, úlceras gástricas, dor de estômago em geral, infecções urinárias e para manter os níveis de açúcar no sangue controlados, no caso de diabetes.

Quais as propriedades

As propriedades do Picão-preto incluem sua ação anti-inflamatória, diurética, antioxidante e anti-diabética.

Como usar

Podem ser utilizadas todas as partes da planta Picão-preto para fazer infusões que podem ser utilizadas para gargarejos ou compressas mornas.

1. Chá de Picão-preto

O chá de Picão-preto pode ser utilizado para auxiliar no tratamento de problemas de estômago ou da hepatite. Para preparar o chá, é necessário:

Ingredientes

Meia xícara de chá de partes de Picão-preto seca;

Meio litro de água.

Modo de preparo

Colocar ½ xícara de partes da planta seca em uma panela com ½ litro de água e deixar ferver durante 10 a 15 minutos. Filtrar a mistura e beber 1 xícara 4 a 6 vezes por dia.

2. Gargarejos de Picão-preto

Os gargarejos de picão preto são uma ótima opção para garganta inflamada, amigdalite ou faringite. Para ser utilizado nestas ocasiões, basta preparar a infusão, deixar esfriar até ficar morna e gargarejar cerca de 3 vezes por dia.

3. Compressas mornas de Picão-preto

As compressas mornas podem ajudar a acalmar situações de reumatismo e dor muscular. Para preparar estas compressas, basta preparar a infusão de Picão-preto, deixar esfriar até ficar mornar, mergulhar compressas ou gaze limpa na mistura e depois aplicar sobre as articulações ou músculos doloridos.

Possíveis efeitos colaterais

Não estão descritos efeitos colaterais do Picão-preto, no entanto, a planta deve ser utilizada com precaução e deve-se evitar ultrapassar as doses diárias recomendadas no modo de uso.