Voltar ao menu principal

PARARI

Planta pariri

 

Resultado de imagem para Pariri ervas medicinais"

Resultado de imagem para Pariri ervas medicinais"

Resultado de imagem para Pariri ervas medicinais"

 

O pariri, de nome científico Arrabidaea Chica, é uma erva com propriedades medicinais bastante eficazes no combate à anemia e na limpeza de feridas na pele ajudando na cicatrização das mesmas. A planta é conhecida no meio popular como cipó cruz ou cipó pau, carajurú ou carijurú. O uso mais comum do pariri é em forma de chá, que é de simples preparo e ajuda na cura de doenças internamente. A planta pode ser encontrada já própria para o consumo em farmácias especializadas em produtos naturais ou em feiras livres.

Propriedades

·         Expectorante

·         Adstringente

·         Antibacteriana

·         Anti-inflamatória

·         Afrodisíaca

·         Antianêmica

·         Antifúngica

·         Fortificante

·         Antidiabética

·         Cicatrizante

Benefícios do pariri

O pariri é uma planta pouco conhecida, contudo muito benéfica à saúde do nosso organismo, sendo uma ótima combatente de males que vão desde a diarreia a inflamações ginecológicas. Os poderes curativos da erva podem ser aproveitados por banhos de assento ou quando a consumimos em forma de chá, que age limpando o organismo de dentro para fora.

O pariri auxilia no tratamento de infecções ginecológicas, como corrimento vaginal, conjuntivite, anemia – devido a grande quantidade de ferro presente em sua composição –, diarreia simples e num grau mais elevado onde se vê a presença de sangue. Ajuda a tratar também icterícia e na limpeza de feridas na pele. Sua eficácia no tratamento do câncer, em principal os cânceres de útero, boca e leucemia ainda não foi comprovada cientificamente.

Receita do chá

Para preparar a infusão você precisará de 3 a 4 folhas grandes do pariri, que é o equivalente a 2 colheres de sopa da erva picada. Esta quantidade deve ser usada para cada litro de água que deve ser levada ao fogo até alcançar a fervura, após fervida a água deve ser despejada sobre as folhas num recipiente – preferencialmente de vidro por conservar melhor as propriedades – e abafada até que atinja a temperatura ambiente podendo então ser consumida. Cuidado no açúcar, o excesso dele pode cortar os efeitos do chá, o mais indicado é bebê-lo ao natural.