0

 

Voltar ao menu principal

Mandrágora

Mandrágora                                

 

Resultado de imagem para mandragora cha"

Resultado de imagem para mandragora cha"

Resultado de imagem para mandragora cha"                   

 

 

Mandrágora

A mandrágora é uma planta medicinal muito conhecida por seus poderes afrodisíacos e analgésicos. Essa planta já foi mencionada na bíblia, no romance de Romeu e Julieta e também no filme de Harry Potter. Conheça agora os benefícios e usos da mandrágora.

A mandrágora, também conhecida como mandraque, é uma planta que pertence à família da Polanaceae. Possui origem entre o mediterrâneo até o Himalaia. O uso da sua raiz vem de tempos muito antigo. A registros do uso medicinal da mandrágora na bíblia, nos livros de Gênesis e Cânticos. Em algumas lendas medievais, as raízes da mandrágora deveriam ser colhidas nas noites de lua cheia. Devendo ser puxadas para fora da terra por uma corda que estaria amarrada em um cão preto. Caso outro animal ou pessoa fizesse essa atividade, a raiz gritaria tão alto que o mataria.

Características

É uma planta herbácea, que possui uma grande raiz que se estende por cerca de um metro abaixo do solo. Sua raiz é grossa e se divide em duas partes. Possui um caule muito curto, as suas flores são brancas, seus frutos são semelhantes a uma pequena maçã de cor larana e exalam um forte odor. Algumas das espécies mais conhecidas são:

·         Mandragora autumnalis

·         Mandragora officinalis

·         Mandragora turcomanica

·         Mandragora caulescens

Propriedades e usos

Mesmo havendo um grande interesse no uso medicinal das raízes tradicionalmente, poucas pesquisas foram publicadas sobre os constituintes químicos. Entre os princípios ativos presente em sua constituição, temos: Hiosciamina, escopolamina, atropina, madragorina e alcaloide.

É usado como alucinógeno, analgésico, narcótico, sedativo e purgante. Antigamente seu uso era interno, para aliviar dores, como afrodisíaco e também no tratamento de problemas do sistema nervoso. Seu uso externo era para o tratamento de úlceras. Nos dias atuais seu uso é apenas homeopático.

Contraindicações e efeitos colaterais

É preciso ter muito cuidado no uso da planta, ela é tóxica e só deve ser usada com prescrição médica e em doses homeopáticas. Gestantes e lactantes não devem usa-las.

Pode causar certa vermelhidão na pele, secura na boca, arritmia, midríase, obstipação. Ao usar dá uma sensação de sonolência, seguida de alucinações e delírio.