Voltar ao menu principal

INHAME

sebrae mercados, ervas medicinais, oportunidade de negócios

 

Como plantar inhame - Passo 2

Como plantar inhame - Passo 7

Resultado de imagem para INHAME"

inhame, conhecido também como cará, é um tubérculo de espécie do gênero Dioscorea que produz raízes comestíveis. Tem origem africana e possui várias espécies que dão origem a tubérculos que variam no aspeto e na cor da polpa, que pode ser branca, amarelada ou até mais escura. Por se tratar de um alimento com um alto valor nutricional e super energético, o inhame é plantado em todo mundo. Para além disso, o inhame contam com vários benefícios para a saúde e propriedades medicinais, pois é rico em potássio, ferro, magnésio, fibras, carboidratos, manganês e vitamina B6 e C. Se quer adicionar este tubérculo na sua horta, de seguida no um COMO vamos explicar para você tudo o que precisa saber.

Especialistas falam se é verdade ou mito sobre suco de inhame combater a dengue

Coordenador do Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) do Hospital de Base de Rio Preto explica que o suco não ajuda no tratamento e fala sobre o perigo da mandioca crua.

Por Renato Pavarino, G1 Rio Preto e Araçatuba

 

O assunto acabou sendo debatido após o morador José Aparecido da Silva, de 56 anos, morrer em abril deste ano com sintomas de intoxicação alimentar. A família informou ao médico da Santa Casa que a vítima tinha consumido suco de inhame cru minutos antes de ser socorrido.

Com isso, o G1 ouviu especialistas da área da saúde para esclarecer as verdades e os mitos dos benefícios do suco.

De acordo com o médico Carlos Caldeira, atual coordenador do Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) do Hospital de Base de Rio Preto, o suco de inhame não é um "remédio" capaz de aumentar rapidamente a imunidade ou "agir de forma mágica" nos sintomas da doença, que incluem febre, cansaço, dor de cabeça e no fundo dos olhos. (Veja vídeo acima)

“O suco de inhame é usado erroneamente no tratamento contra a dengue. Não existe nenhuma comprovação de que ele é realmente eficaz", afirma Carlos.

"Os alimentos naturais que as pessoas encontram em sites e acham que existem benefícios como melhorar a quantidade de plaquetas, reduzir os sintomas da dengue, isso não existe. É uma lenda que alguém inventou e as pessoas compram a ideia e ficam replicando”, explica.

Tóxico ou não?

Sem o laudo necroscópico de José Aparecido da Silva, não é possível saber se a ingestão do alimento foi a causa da morte.

No entanto, Carlos Caldeira afirma que o inhame cru e cozido não tem propriedades tóxicas capazes de causar uma intoxicação alimentar e, consequentemente, a morte.

“O inhame não é tóxico. Com certeza, não deve ter sido a causa da morte do paciente. A mandioca crua é perigosa, porque possuí uma concentração alta de um veneno conhecido como ácido cianídrico. Ele é letal em pouco tempo. Mas quando você ferve a toxidade se perde”, afirma Carlos Caldeira.

Ao G1, o médico também explicou que não há motivos para se preocupar com o consumo do inhame, principalmente, porque ele possui nutrientes benéficos ao corpo humano. Contudo, o erro está no fato de usá-lo como um alimento milagroso no tratamento da dengue. Quando na verdade, não é bem por aí.

“Você pode tomar suco de inhame se gostar, mas não com o pensamento de que ele vá te trazer algum tipo de benefício milagroso. Existem diversos alimentos com as mesmas propriedades. Portanto, a pessoa pode consumir um tomate ou uma cenoura. Não vai fazer diferença”, diz o coordenador.

Ainda segundo Carlos Caldeira, muitos pacientes deixam de lado o que os médicos dizem para fazer e acabam recorrendo à internet como se ela fosse solucionar os problemas. O ato de se automedicar, mesmo com nutrientes naturais, pode gerar malefícios à saúde.

“Uma grande proporção dos pacientes gosta de fazer de tudo, menos aquilo que existe comprovado cientificamente. É enorme o número de pacientes que compra remédios pela internet, que dizem que existem raízes, quando não existe nada. Tem a droga comum mesmo. Existem dois caminhos: um é não fazer nada. O outro é fazer mal”, explica.

Alimentação saudável

Se para o tratamento e combate aos sintomas da dengue, o suco de inhame não se mostra tão eficaz quanto promete as receitas disponíveis na internet, a nutricionista esportiva Simone Martineli defende que o consumo do tubérculo pode ser uma opção para quem busca uma alimentação saudável.

"O inhame é uma excelente opção para quem busca uma alimentação balanceada. Isso porque ele é rico em fitoquímicos e antioxidante também. Ele pode proteger nosso organismo contra diversas doenças, principalmente, as crônicas não transmissíveis como o câncer, hipertensão e diabetes. Até na prevenção da menopausa ele pode agir", diz.

Ao G1, Simone Martineli também afirmou que o excesso do carboidrato pode causar o acúmulo de gordura porque o corpo não consegue absorver todos os nutrientes de uma vez.

Além disso, para auxiliar no sistema imunológico, o tubérculo deve ser consumido de forma equilibrada, ou seja, junto com outros alimentos.

"Tudo que é em excesso, até alimentos saudáveis, podem se tornar ruins. O inhame trabalha no sistema imunológico, mas isso a longo prazo. Não adianta a pessoa consumir hoje e achar que amanhã estará bem. Outro ponto é achar que ele é um alimento milagroso. As pessoas precisam ter uma alimentação balanceada. Ele sozinho não vai resolver o problema", afirma.