Voltar ao menu principal

HIPÉRICO

 

 

Resultado de imagem para hiperico e erva de sao joao

Fitoterapia – Hipérico: Calmante e antidepressivo natural

por Silberto Azevedo

 

Nome Botânico:

Hypericum perforatum L.

 

Sinonímia:

Erva de São João; Milfurada; Jarsin

 

Família:

Clusiacea

 

Parte utilizada:

Folha e Flor

 

Histórico e curiosidades:

Conhecida popularmente na Europa com planta mágica e por isto entra na composição de defumadores de ambientes. Na idade média acreditava-se que o Hipérico tinha o poder de expulsar maus espíritos e o azar.

As flores de cor amarela dourado devem ser colhidas logo que desabrocham juntamente com as folhas.

A Europa é líder em prescrição do Hipérico, sendo que na Alemanha, é o antidepressivo mais utilizado, representando acima de 25% do total de prescrições para esta classe de medicamentos. 

 

Ecologia:

Nativo da Europa e encontrada na Ásia e Norte da África habita terrenos incultos, bosques pouco densos, clareiras e prados secos até 1.600 metros de altitudes. Esta bem aclimatada no Brasil, Austrália e outros países da América.

 

Constituintes:

Óleo essencial, flavonóides (hiperosídeo, quercitina, quercitrina e rutina), glicosídeos (hipericina – corante vermelho)

 

Ações:

Adstringente, calmante, antiirritante, antidepressivo, antidiarréico, antiinflamatório, vulnerário, sedativo, diurético suave, colagogo, cicatrizante, anti-séptico e vermífugo.

 

Propriedades Farmacológicas:

A Hipericina exerce ligeira ação calmante, auxiliando em quadros depressivos e de distúrbios psicovegetativos acompanhados de ansiedade; É utilizada também em problemas vegetativos relacionados à depressão, como melancolia, distúrbios do sono, dores musculares e cefaléias. Ainda não foi completamente definida sua ação junto aos inibidores da Monoaminoxidase (IMAO);

Os princípios amargos estimulam os órgãos digestivos, inclusive a vesícula biliar;

A ação adstringente está relacionada aos taninos e flavonóides;

As saponinas são responsáveis pela ação estimulante da circulação sanguínea;

A Hipericina está sendo testada como agente antiviral em pacientes aidéticos;

Extrato de Hipérico é mais seguro que a Imipramine e de mesma forma efetiva para tratar pacientes com depressão moderada. (British Medical Journal December 11, 1999;319:1534-1539).

A diferença entre Hipérico e outros antidepressivos sintéticos é não provocar dependência e nem potencialização dos efeitos do álcool.

 

 

Contra indicações

Pacientes diabéticos;

Gestantes e Lactentes;

Pacientes em uso de quimioterápicos, digoxina, anticonvulsivantes, anticoagulantes, Sinvastatina e imunossupressores (Ciclosporina);

 

Reações adversas

Em pessoas de pele clara pode provocar fotossensibilização com inchaços, irritação e edema cutâneo, principalmente se usada em quantidades inadequadas.

 

Precauções:

Deve-se evitar a exposição direta ao sol durante o tratamento;

Não deve ser utilizado juntamente com outros antidepressivos;

Medicamentos devem sempre ser administrados com a orientação médico/farmacêutico.

 

Utilização:

Uso interno:

Cápsulas de Hipérico (extrato seco) 300 mg 1 a 3 vezes ao dia (300 a 900 mg)

Tintura: 1 a 4 mL 3 vezes ao dia.

Infusões (no tratamento da enurese noturna): 2 colheres de chá de flores em 1 xícara (de café) de água quente, coar depois de 10 minutos e administrar antes de dormir;

 

Uso externo:

Óleo de macerar: usar 300 g de sumidades floridas em 500 g de óleo puríssimo. Fazer compressas de gaze sobre úlceras e queimaduras, ou fricções para gota e reumatismo.

Xampus, cremes, loções, gel de banho e óleos infantis: até 5% de extrato glicólico.

 

Fontes:

Almança, C. C. J.; Carvalho, J. C. T. Formulário de prescrição fitoterápica. São Paulo: Atheneu, 2003.

 Cuidados no uso do hypérico - o antidepressivo natural

Plantas medicinais são todas aquelas utilizadas como recurso para prevenir, tratar, aliviar, curar ou modificar um processo do corpo. Na forma de fitoterápicos são produtos acabados e etiquetados, a base de plantas ou seus ativos.

A espécie Hypericum perforatum L. é conhecida popularmente como hipérico ou erva-de-são-joão. Possui em sua composição química óleos essenciais, taninos, fibras, flavonóides, vitamina C, carotenos e aminoácidos. Na Alemanha é o fitoterápico mais utilizado para o tratamento da depressão por sua boa tolerabilidade. O extrato seco demora cerca de 20 a 30 dias para ter este efeito e o uso não deve ser prolongado por mais de 3 a 4 meses, pois pode ser tóxico para o fígado.

No período de uso a pessoa também não deve se expor ao sol para não manchar a pele, já que o hipérico aumenta a produção de melatonina.

Nomenclatura botânica Hypericum perforatum L. 11

·         Nome popular Hipérico

·         Parte usada Partes aéreas

·         Padronização/Marcador Hipericinas totais

·         Formas de uso Extratos, tintura

·         Indicações / Ações terapêuticas Estados depressivos leves a moderados, não endógenos

·         Dose Diária 0,9 a 2.7 mg hipericinas

·         Via de Administração Oral

·         Restrição de uso Venda sob prescrição médica

 

Existem evidências de que o hipérico reduza os níveis de outros medicamentos, provavelmente por estimular a destoxificação hepática. Não deve ser utilizado junto com medicamentos utilizados por portadores do vírus HIV, com imunossupressores da ciclosporina, utilizados na prevenção de rejeição a órgãos transplantados, nem com digoxina. medicamento utilizado no tratamento de problemas cardíacos.

Pesquisas também mostram que ocorrem sangramentos e falhas dos anticoncepcionais em mulheres que consomem o hipérico. O hipérico também pode reduzir os níveis de outros medicamentos como antidepressivos tricíclicos, amitriptilina, nortriptilina, anticonvulsivantes, anticoagulantes e varfarina. Por isso, nunca utilize plantas, como chás ou cápsulas, sem consultar antes um profissional de saúde especialista na área de fitoterapia.