Voltar ao menu principal

GRAVIOLA

 

http://2.bp.blogspot.com/_78EWX6Us3tU/SsXTnr2Al6I/AAAAAAAABlw/0J1mNjC_DP0/s320/folha+que+cura+c%C3%A2ncer.png

http://4.bp.blogspot.com/_78EWX6Us3tU/SsXTLwF9mfI/AAAAAAAABlg/923-AgqLWZg/s320/graviola_1.jpg

http://www.mitchhamell.com.br/graviola.jpg

 

http://mition.files.wordpress.com/2008/09/graviola.jpg

Graviola contra o câncer

Estudos mostram que as propriedades da fruta podem ser benéficas aos pacientes com linfoma

Por Tatiane Mota

Não é de hoje que determinados alimentos são vistos como mocinhos ou vilões na luta contra o câncer. E a graviola é um deles. Alguns dizem que ela pode ser muito prejudicial aos pacientes em tratamento. Entretanto, Entretanto, outros, discordam dessa constatação.

Para tirar as dúvidas de uma vez por todas, convidamos a nutricionista Juliana Nabarrete, do Comitê de Nutrição da Abrale, para falar sobre esta fruta proveniente das regiões norte e nordeste do país.

Revista Abrale  Quais as propriedades da graviola?

Juliana Nabarrete: A graviola é uma fruta de sabor agridoce e aroma único. É rica em magnésio, cálcio, potássio, fibras, vitaminas do complexo B, vitamina C, manganês, zinco, ferro, fósforo, sódio, cobre, entre outros.

Revista Abrale Como ela pode ser consumida? 

Juliana Nabarrete: Recomendamos o consumo de frutas na sua forma in natura, sem casca e sem sementes. Desse modo, é preciso acertar na escolha da fruta, optando sempre pelas unidades que estiverem mais macias e evitando aquelas com a casca preta ou rachada. A graviola pode ser utilizada em preparo de sucos, doces e sorvetes. Suas folhas possuem as mesmas fontes nutricionais que a polpa. Você pode utilizá-las para preparar um chá, ajudando no tratamento e prevenção de artrite, problemas no aparelho digestivo, hipertensão, entre outros. Porém, a sua ingestão é contraindicada às grávidas devido aos efeitos na pressão arterial. Enquanto a capsula, que contém o extrato de graviola, é mais comum em regiões onde a fruta não é facilmente encontrada, e as pessoas podem aproveitar os seus benefícios por meio da suplementação. Mas, deve-se somente consumir com recomendação de uma nutricionista ou médico.

Revista Abrale – Ela pode ser usada para tratar problemas de saúde?

Juliana Nabarrete: O seu consumo é recomendado em casos de prisão de ventre, diabetes e obesidade. Aliás, pode ter ação anti-microbiana e fúngicas e de regulação da pressão arterial. O seu nome científico é Annona muricata L e o extrato de suas folhas é muito estudado no tratamento do câncer. Desde 1970, estudos americanos e coreanos realizados in vitro demonstraram que um conjunto de ativos fitoquímicos chamado Acetogenina, presente na folha da graviola, “matam” células malignas de 12 tipos diferentes de câncer, incluindo câncer de mama, ovário, cólon, próstata, fígado, pulmão, pâncreas e linfoma. Quando comparada a ação da adriamicina, a toxicidade às células saudáveis do organismo é bem abaixo, o que resulta em poucos efeitos colaterais. O órgão americano de regulamentação de alimentos e medicamentos – Food and Drug Administration – FDA, aprova somente a utilização da graviola como um coadjuvante no tratamento na melhora da função imunológica.

Revista Abrale É verdade que o chá de graviola pode fazer muito mal aos pacientes que têm câncer?

Juliana Nabarrete: Algumas pessoas acabam extrapolando no consumo do chá durante o tratamento e certas substâncias podem ser tóxicas para rins e fígado, e podem comprometer a absorção e a eficácia dos quimioterápicos.

Revista Abrale Então o uso da graviola está liberado para os pacientes em tratamento?

Juliana Nabarrete: Como outros diversos alimentos, a graviola deve fazer parte de uma alimentação equilibrada. Seja ela in natura, como parte de uma receita ou em forma de suco para o paciente oncológico. Sua utilização como medicamento natural ainda tem que ser estudada com maior abrangência na população.

Receitas

SUCO DE GRAVIOLA COM LIMÃO

Ingredientes

1 graviola (média)

1 litro de água

Raspas de 1 limão

Modo de fazer

Retire a polpa da graviola, sem as sementes, e bata no liquidificador. Peneire bem, volte o suco para o liquidificador, adicione as raspas de limão e bata novamente por alguns segundos. Adoce a gosto e acrescente gelo.

SORVETE DE GRAVIOLA

 Ingredientes

400 g de polpa de graviola

1 lata de leite condensado

1 lata de creme de leite sem soro

1 colher (sopa) de raspas de limão siciliano

Modo de fazer

Coloque a polpa de graviola e o leite condensado no liquidificador e bata bem.

Adicione o creme de leite e bata mais uns minutos.

Coloque a polpa batida numa vasilha plástica, acrescente a raspa de limão e misture bem.

Tampe e leve ao congelador por uma hora.

Bata mais uma vez no liquidificador e leve de volta ao congelador por mais meia hora. Sirva-se.

8 Benefícios da Graviola – Para Que Serve e Propriedades

 

A graviola é uma fruta característica de regiões tropicais, principalmente América Central, do Sul e sudeste asiático. Possui forma ovalada ou de coração, e pode chegar a pesar 8 quilos. Apresenta uma coloração verde, mais escura quando a fruta ainda está verde e mais clara conforme amadurece. Tem sulcos e saliências em formato de espinho na casca e uma polpa branca macia e suculenta com pequenas sementes pretas. Tem sabor doce ácido e pode chegar a pesar 8 quilos.

Os benefícios da graviola para a saúde são numerosos. Iremos explorar agora para que serve a fruta, quais propriedades se destaque e como você pode tirar vantagem dela.

Para que serve a Graviola?

Devido à sua cremosidade, a graviola apresenta várias formas de consumo e aplicações culinárias, como in natura, sucos, sorvetes, geleias, mousses, outros doces e bebidas.

A graviola é extremamente nutritiva, porém além da fruta em si, as folhas, raízes, casca e sementes têm grande tradição de uso em compostos medicinais, sendo utilizados como remédio natural para doenças como infecções, febre, problemas digestivos, diarreia, pressão alta, parasitas externos e internos, diabetes, entre outras. Existem, inclusive, registros de seu uso como planta medicinal no tratamento de diversas enfermidades por populações indígenas da América e tribos africanas.

Propriedades da graviola

Uma porção de 100g da fruta fornece cerca de 62 Kcal, aproximadamente 16g de carboidratos, predominantemente frutose, 0,8 g de proteínas, 1,9 g de fibras e não contém quantidade significativa de gorduras. Além disso, apresenta uma enorme variedade de vitaminas e minerais: cálcio, magnésio, ferro, fósforo, potássio, zinco, cobre, e vitaminas C, B1, B3, B2 e B6, além de folato.

8 Maiores benefícios da graviola – Para que serve e propriedades

Veja a seguir os benefícios da graviola para sua saúde e boa forma.

1) Possivelmente benéfica na atuação contra o câncer

Recentemente, a graviola tem ganhado notoriedade por apresentar expressiva atividade anticancerígena. Pesquisas com cultura de células e camundongos demonstraram que o extrato da planta foi eficaz contra 12 tipos de câncer, incluindo o de cólon, mama, próstata, pulmão e pâncreas. Acredita-se que as substâncias com atividade antitumoral sejam as acetogeninas, compostos encontrados apenas nas Anonáceas, família a que pertence a graviola.

O extrato da fruta, semente e folhas foi capaz de matar células cancerosas até 10.000 vezes mais do que medicamentos utilizados na quimioterapia, por impedir que essa células produzam a energia que necessitam para crescerem e se multiplicarem. Entretanto, estudos em humanos ainda devem ser realizados para verificar sua segurança e comprovar a eficácia como medicamento.

Veja também:

·         Como Fazer Chá de Graviola – Receita, Benefícios e Dicas

·         9 Receitas de Suco de Graviola – Benefícios e Como Fazer

·         Graviola Faz Mal Pros Rins?

·         Graviola Cura Câncer?

2) Ajuda a controlar o peso

A presença de alto teor de fibras faz com que a graviola possa ser uma aliada no controle do peso. Isso porque as fibras retêm água no interior do trato gastrointestinal, levando a uma maior sensação de saciedade por mais tempo em relação a refeições sem fibras. Isso ajuda a reduzir a fome e a controlar a quantidade de calorias ingerida, contribuindo para dietas de baixa caloria. Além disso, se ingerida com outros alimentos, as fibras ajudam a reduzir o índice glicêmico da refeição como um todo, o que ajuda a evitar o acúmulo da glicose sanguínea como gorduras.

O índice glicêmico da graviola é 32, considerado bastante baixo, porém ela deve ser consumida com moderação uma vez que uma unidade da fruta pesa em média 1 a 4kg e cada 100g possui 16g de carboidratos. Isto significa uma grande quantidade de açúcares, e consequentemente calorias, por unidade, o que pode afetar o balanço calórico diário ideal, levando ao ganho de peso. Certamente que a pessoa não comerá uma fruta inteira mas a tendência é comer uma quantidade grande e dessa forma estará consumindo mais calorias.

3) Músculos fortes e proteção contra cãibras

A graviola apresenta consideráveis níveis de potássio, um micronutriente extremamente importante nos mecanismos bioquímicos de transmissão dos impulsos nervosos e da contração muscular. Níveis adequados de potássio permitem uma melhor eficiência na contração dos músculos esqueléticos, o que é fundamental na prática de atividades físicas, como musculação, corrida, etc, melhorando o desempenho e evitando fadiga e cãibras.

O potássio também garante a saúde do sistema cardiovascular, uma vez que o coração, artérias e veias também são formados por tecido muscular. Assim, a graviola é usada também como auxiliar no tratamento da hipertensão arterial.

4) Ossos saudáveis

A graviola é fonte de cálcio e fósforo, essenciais na formação e manutenção dos ossos, evitando e auxiliando no tratamento da osteoporose. Além disso fornece também zinco, que é um cofator da vitamina D e trabalha permitindo a ação dessa vitamina na fixação do cálcio e outros minerais para formação de tecido ósseo.

5) Diurético natural

A graviola é rica em água, mais de 82% do peso da fruta é composto por água, o que, aliado à presença de sais minerais como magnésio e potássio, ajuda na eliminação de líquidos. Assim seu suco é uma excelente fonte de hidratação e pode auxiliar pessoas que têm dificuldade em tomar as quantidades recomendadas de água diariamente. O efeito diurético elimina o excesso de água retido no corpo, reduzindo peso e medidas. A presença de magnésio também pode ser especialmente benéfica no alívio do inchaço pré-menstrual, pois ajuda a aliviar os sintomas dessa fase do ciclo menstrual.

6) Anti-inflamatório e antimicrobiano naturais

Estudos científicos demonstraram a ação do extrato de graviola como agente anti-inflamatório e antimicrobiano. Ele foi eficaz contra um grande número de bactérias, e já é utilizado como auxiliar no tratamento de doenças como febre, pneumonia, diarreias bacterianas, infecções urinárias e até mesmo infecções de pele. Demonstrou ter ação também contra o vírus da herpes, espécies de Leishmânia, causadoras de leishmaniose e Tripanossoma cruzi, causador da doença de Chagas.

Sua atividade analgésica e anti-inflamatória também foi identificada por pesquisadores da Universidade Federal de Juiz de Fora em estudo publicado em 2010. Extratos das folhas da graviola demonstraram reduzir a dor e inflamação em modelos animais.

Entretanto, mais estudos são necessários para garantir a segurança dessa aplicação para os seres humanos.

7) Pele mais jovem e bonita

A vitamina C e outros agentes antioxidantes encontrados na graviola, como polifenóis, saponinas e flavonoides, auxiliam na hidratação e prevenção do envelhecimento precoce da pele. Eles agem eliminando radicais livres e, no caso da vitamina C, estimulando também a produção de colágeno e elastina, essenciais para uma pele saudável e livre de manchas e dos sinais da idade.

Além disso seus efeitos anti-inflamatórios e antibacterianos auxiliam também no tratamento da acne e na cicatrização de ferimentos.

8) Calmante natural

Poucas pessoas conhecem os benefícios da graviola como calmante. A graviola é rica em triptofano, que está presente também na casca, folhas e raízes da planta. O triptofano é um aminoácido essencial utilizado na síntese do neurotransmissor serotonina e do hormônio melatonina, ambos estreitamente ligados ao controle do humor e do sono. Os neurônios produzem serotonina utilizando, além do triptofano, vitamina B3 (também conhecida como niacina) e magnésio, ambos também presentes na graviola.

Pesquisas têm demonstrado que a serotonina é um neurotransmissor de importância central na depressão, e a suplementação com triptofano já vem sendo utilizada como estratégia terapêutica em pacientes com essa doença. Baixos níveis de melatonina levam à insônia, irritabilidade e estresse.

Assim, a graviola pode auxiliar na manutenção de níveis adequados de triptofano, vitamina B3 e magnésio e consequentemente de serotonina e melatonina, atuando como um calmante natural e ajudando a prevenir quadros de depressão, ansiedade e hiperatividade.

Cuidados e Efeitos Colaterais

Apesar de muitas pessoas utilizarem a semente da graviola no combate a parasitas intestinais e outras aplicações medicinais, seu uso não é recomendado devido à presença de anonacina, uma acetogenina tóxica capaz de atravessar a barreira hematoencefálica, chegando ao cérebro. Estudos já demonstraram que a ingestão das sementes da fruta pode causar ou facilitar o desenvolvimento de doença neurológica com lesões similares à doença de Parkinson e distúrbios do sono. Porém, aparentemente, o fato estaria ligado ao consumo em grandes quantidades da fruta e do chá das folhas, por longo tempo, em populações de regiões endêmicas da espécie. Assim, o consumo moderado em uma dieta balanceada normal não teria grandes efeitos de toxicidade, porém mais estudos são necessários sobre o assunto.

Muitos dos efeitos terapêuticos atribuídos à graviola já foram estudos in vitro ou em modelos animais, outros não tem nenhuma evidência científica; por isso, mais estudos devem ser realizados para garantir a eficácia e segurança para essas aplicações. Desta forma, nenhum tratamento convencional deve ser interrompido ou substituído pelo uso da graviola como fitoterápico, consulte sempre seu médico antes de iniciar o consumo da planta com esta finalidade.