Voltar ao menu principal                                                                                        

EUCALIPTO

 

http://www.hipernatural.com/images/plantas/eucalipto.jpg

http://1.bp.blogspot.com/_63wUXZq7CVQ/TBeQ284kOuI/AAAAAAAAAbw/NyRdur-Y0dY/s1600/eucalipto.jpg

http://www.belladerm.com.br/wp-content/uploads/2010/11/20091120074607980716a-183x300.jpg

 

http://arvoresdesaopaulo.files.wordpress.com/2009/06/eucaliptos-em-sp-ricardo-h-cardim.jpg?w=336&h=448

Espécie originária da Austrália e Tasmânia, O Eucalipto é cultivado na atualidade em numerosas regiões tropicais e subtropicais do mundo. Em zonas temperadas são populares como ornamentais, pois toleram grande variedade de solos.


Devemos considerar como seu princípio ativo mais importante o óleo essencial cineol ou eucaliptol, que está presente em 60% do óleo essencial obtido das folhas de eucalipto (3-5%). No entanto outras substâncias, tais como: princípios amargos, resinas, taninos, ácidos fenólicos, goma e similares, flavonóides (eucaliptrina, hiperosideo, quercetina e rutina) contribuem para a ação terapêutica da planta.


A principal atividade do eucalipto se concentra no nível do trato respiratório e está em função do seu óleo essencial. O Eucalipto têm demonstrado possuir, tanto por via oral quanto inalatória, atividade expectorante, fluidificante e anti-séptica da secreção bronquial (Leung, A. 1980; Dellacasa, E. et al.1989). Por qualquer destas via de administração, o óleo essencial se elimina principalmente maiormente por via pulmonar, o qual justifica seu extensivo emprego nas infecções do trato respiratório (Pizsolitto, A. et al., 1977; Cáceres, A., et al., 1991).
Estudos in vitro têm demonstrado também atividade antiviral frente ao influenza A dependente das frações flavonoídicas quercitrina e hiperósido (Vichkanova S., e Goryunova, L., 1973; Leung, A., 1980).


O eucalipto possui atividade antimicrobiana acentuada frente a microrganismos gram+ como Baccilus subtilis, Staphylococcus aureus, neumococo e Micrococcus glutamious (Yousef R, Tawil, G., 1980; Kumar, et al., 1988). Em relação a microrganismos gram -, possui um espectro de ação menor, tendo observando-se atividade frente a E. coli e Candida albicans (Safiyev, S. et al.,1997).


O eucalipto possui um componente identificado como eucaliptona, que possui atividade antimicrobiana contra algumas bactérias cariogênicas (Streptococcus mutans Ingbritt, Streptococcus sobrinus 6715, S. sobrinus B13 e S. mutans LA7) e possui efeito inibitório da adesão de glucanas insolúveis em água, sintetizadas pela GTase preparada pelo sobrenadante da S. sobrinus 6715. Estes dados indicam que a eucaliptona pode ser uma substância natural promissora para o desenvolvimento de um novo medicamento cariostático.

O chá de eucalipto é bom para diversas enfermidades, tais como a asma, asma cardíaca, afecções catarrais, adenites, coqueluche, coriza, cistite, catarro da bexiga, disenteria, diabetes, febres, gripes, leucorréia, maleita, nefrite, rinite e tuberculose
.
O eucalipto possui muitas qualidades terapêuticas e, adicionado ao mel e à própolis, é eficaz no tratamento e combate das gripes, resfriados, bronquites, asmas e inflamações da boca e garganta.

O óleo essencial de eucalipto é adstringente, febrífugo e tônico, usado sempre como auxiliar no tratamento de gripes, resfriados, bronquites, asma, rinites e sinusites. Emprega-se em linimento, nas dores reumáticas e musculares.


O eucalipto é contra-indicado para gestantes, lactantes e crianças menores de 2 anos.
Quanto a interações medicamentosas, não é indicado associar o eucalipto a sedativos, analgésicos e anestésicos sob o risco de potenciação dos efeitos (Arteche García A., 1994).