Descrição: http://ervasdoencas.com/index_arquivos/image002.jpg

Voltar ao menu principal

ERVA São João

 

 

Descrição: http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSRQRj4r-fajc9uMvndeUrnQMyZ-hBv3mmMaYmUMVEMfs851IW9

 

Descrição: http://2.bp.blogspot.com/_4lMLF2r1fxc/STxpAxGoo5I/AAAAAAAAAGw/xREN3rVB-4c/s400/erva+de+sao+joaojpg

Descrição: http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSY1oMBl2Bn838zsOrkRly0F2yl5pNjUKXnYY19fR0ApUrqHSJT

Descrição: http://www.cultivando.com.br/fotos/t_mentrasto.jpg

 

 

Nome popular: Erva-de-são-joão, Mentrasto.

Nome científico: Ageratum conyzoides L.

Família: Compositae (Asteraceae).

Origem: América tropical.

Propriedades: É muito c

Características: Erva anual, aromática, com até 1 metro de altura. É muito comum nas áreas úmidas do nordeste brasileiro, principalmente nas serras. É uma planta cosmopolita tropical, considerada invasora de culturas e áreas não cultivadas.

Parte usada: Toda a parte aérea.

Usos: Estudos etnofarmacológicos atribuem a esta planta propriedades hemostática (estanca sangue) e cicatrizante de ferimentos. Nos ensaios farmacológicos com órgãos isolados, seus extratos inibiram contrações intestinais e exerceram um efeito depressor cardíaco, bem como leve inibição de tumores do tipo Walker 256, ao nível de 43%. 

Experimentos clínicos comprovaram sua atividade analgésica nas dores crônicas de pacientes acometidos por artrose, efeitos com alguns dias de uso acompanhado de antiinflamatório. Apesar dos resultados pré-clínicos e clínicos favoráveis ao uso desta planta como fitoterápico, seus princípios ativos medicinais ainda não estão quimicamente determinados. Sua administração, preparação analgésica e antiinflamatória, como anti-reumática e para alívio das cólicas menstruais, pode ser feita com as folhas ou toda a parte aérea da planta recentemente colhida, ou ainda com a planta triturada depois de seca e estabilizada.

Forma de uso / dosagem indicada: Emprega-se o cozimento (decocto) feito com 30 a 40 gramas da planta fresca em meio litro de água ou 15 a 20 gramas da planta seca, que deve ser tomada em três doses diárias, de uma xícara (de chá) de cada vez. Pode-se usar também o pó das folhas na dose de uma colher (de café) três vezes ao dia, misturado com mel, leite, ou água. 

Externamente, pode-se usar o extrato alcoólico a 20% ou ungüento de uso local, em compressas e fricções, nos casos de dores articulares de origem reumática ou conseqüente a traumatismos.

Atenção: Considerando a ação tóxica ao fígado dos alcalóides, é recomendável que sejam usados para fins medicinais, somente as plantas que estejam em estado vegetativo, ou seja, sem flores.

Referências bibliográficas: 
Lorenzi, H. et al. 2002. Plantas Medicinais no Brasil.
Vieira, L. S. 1992. Fitoterapia da Amazôni

A Erva de São João é excelente para tratar depressões, quadros de nervosismo e inquietação. Tenho experiência pessoal como o Erva de São João, quando tomo ao deitar durmo profundamente e até sonho mais do que o normal.

 

Desta forma, identifiquei na erva de São João os benefícios de um calmante, sem os inconvenientes que os calmantes alopáticos trazem.

 

Do site saúde.sapo destaco: “ A hipericina (o principal composto) possui actividade anti-microbiana e anti-cancerígena, para além de um efeito antidepressivo. A hiperforina tem também uma acção antidepressiva, mas por um mecanismo fisiológico diferente. Outros componentes, como os taninos e o óleo essencial, conferem à planta uma actividade anti-séptica e cicatrizante. Os flavonóides têm um efeito anti-inflamatório e vasoprotector capilar. O conjunto de todos estes componentes e respectivas actividades fazem desta planta, pela via interna, uma óptima ajuda nos casos de depressão moderada, ansiedade, distúrbios do sono em idosos e agitação”

 

O artigo completo pode lido em: http://saude.sapo.pt/100_natural/artigos/geral/guia_medicinal/ver.html?id=894519

 

Encontramos a Erva de São João na forma de chá, em cápsulas ou drágeas com o nome de Hypericum perforatum ou Hipérico.

Alguma confusão é causada porque:

"existe no Brasil, uma espécie chamada "erva-de-São João" (Ageratum conyzoides, também conhecida por "mentrasto" e por "picão-roxo") que, obviamente, não é a mesma e nem possui nenhuma semelhança na forma, na taxonomia (classificação botânica) ou nas atividades terapêuticas que encerra.

Este mentrasto (Ageratum conyzoides) é planta muito comum no território brasileiro, ocorrendo nos terrenos abandonados, à beira dos caminhos e como invasora de culturas. É também planta de uso terapêutico, mas com outras propriedades e indicações
."   publicado no site http://www.redetec.org.br/inventabrasil/esjoao.htm


 

Existem algumas contra indicações que precisam ser observadas e também recomenda-se doses moderadas, principalmente para que ainda não usou a essa erva. 

 

Importante ressaltar que por recente decisão da Anvisa a Kava Kava e a Erva de São João passaram a ter tarja vermelha, ou seja, devem ser indicadas por médicos. Isso não invalida os incontestáveis benefícios dessas ervas todavia, as recomendações da Anvisa e supervisão médica deve ser considerada.

http://www.anvisa.gov.br/DIVULGA/NOTICIAS/2002/060302.htm

 

Abaixo destaco mais alguns links sobre essa excepcional erva.

 

http://saude.hsw.uol.com.br/erva-de-sao-joao.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Erva-de-são-joão

http://pt.azarius.net/smartshop/herbs/dried_herbs/st_johns_wort_hypericum_perforatum/

 

Pedido Fone: 43 3325 5103