Descrição: http://ervasdoencas.com/index_arquivos/image002.jpg

Voltar ao menu principal

CIPÓ CRAVO

 

Descrição: http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRnp3X-nydQhufVIzZrp9NMMioRKleB4c5aiugm2uCgZZxQ2Lh3

 

Descrição: http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRVbwlFZVMukikFTrnrMakDbgqURC2V1Off91NcLdCsBy_YLK_o

Descrição: http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSVT6ylsqVvnnicsXGfZY-WwvPpDDlqAEluCuCAwdx3YcKD73jC

Descrição: http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSd6cKyd3nN9ysGl7sCgzyXR_700GZmBxWovB7EMPl_RqBEWvLKGw

Cipó Cravo

O Cipó Cravo é uma espécie arbustiva da flora brasileira, conhecida Poe cipó cravo em virtude do seu aroma lembrar o do cravo. São conhecidas pela Farmacopéia dos Estados Unidos do Brasil 2ª edição (1959) as espécies Tynnanthus fasciculatus Miers., Tynnanthus elagans Miers e outras espécies do mesmo gênero. Os seus caules são aromáticos, cilíndricos, sub-quadrangulares e nodosos. A superfície externa é acinzentada ou pardo-avermelhada. Na secção transversal observa-se a casca pardo-avermelhada pouco espessa e a zona do lenho de coloração amarelo-claro, com quatro entalhes ou mais onde estão localizados pedaços de líber, dispostos em cruz e que alternam com as linhas de inserção das folhas. O líber alarga-se para o exterior em forma de escada. A zona lenhosa mostra anéis concêntricos e neles numerosos orifícios visíveis a olho nu. A medula é quadrangular.

Nome Científico: Tynnanthus fasciculatus Miers.

Nome Popular: Cipó Cravo e Cipó Trindade, em português.

Família Botânica: Bignoniaceae.

Parte Utilizada: Cipó (caule).

Princípios Ativos: traços de Óleo Essencial; Alcalóide: tinantina; Ácido Tinântico; Taninos; Resina; Açúcares; Cumarina.

Indicações e Ações Farmacológicas: São atribuídas ao Cipó Cravo as propriedades de tônico estomacal, carminativo, aromático, sendo usado como corretivo de sabor das preparações iodadas.

Toxicidade, Contra-indicações: Não há referências nas literaturas consultadas.

Dosagem e Modo de Usar: A Pharmacopeia dos Estados Unidos do Brasil 1ª edição (1926) cita o Extrato Fluido de Cipó Cravo e a Tintura de Cipó Cravo.
Coimbra (ver referências bibliográficas) cita as seguintes preparações e dosagens:

• Infuso ou Decocto a 2,5%: de 50 cc a 200 cc por dia;
• Extrato Fluido: de 1 a 5 cc por dia;
• Tintura: de 5 a 25 cc por dia.

Outras Referências:

De nome científico Tynnanthus fasciculatus, o cipó cravo é originário do Brasil, mais especificamente da Mata Atlântica, mas que também habita as matas dos estados do Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A planta pertence à família das Bignoniaceae e é popularmente conhecida como cipó trindade. O nome de cravo foi dado devido ao aroma que é muito semelhante ao do cravo-da-judeia, presente nesta planta que é uma trepadeira volúvel, sem gavinhas e espontânea. Seu caule é cilíndrico e possui uma coloração castanho-avermelhada. Muito sulcado e aromático, o caule apresenta folhas opostas e a planta prefere solos secos, arejados, sombreados e que sejam ricos em matéria orgânica para crescer. Se você pretende realizar o plantio, plante de 2 m em 2 m, ou então plante-o como trepadeira em árvores. As raízes podem ser colhidas no outono e a parte usada para fins medicinais é o seu caule.

Descrição: Chá de cipó cravo - Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução

Benefícios e propriedades

A planta pode ser usada para fins medicinais, pois possui propriedades analgésica, antirreumática, digestiva, estimulante, fortificante e afrodisíaca. É indicada para o tratamento de impotência causada por fraqueza genital, gases, problemas estomacais e diarreia. Entre os princípios ativos da planta, encontramos alcaloides, óleos essenciais, tinantina, eugenol, taninos e ácido tânico.

Contraindicações e efeitos colaterais

Atenção, consuma sempre nas doses indicadas e sempre consulte um médico antes de consumir quaisquer medicamentos, mesmo que naturais. Gestantes e pacientes que tomam medicamentos contínuos, assim como crianças, não devem fazer o consumo do chá de cipó cravo.

Como consumir?

O consumo é feito por meio de tintura para fins afrodisíacos. Para isso, tome entre 1 e 5 ml 3 vezes ao dia. A infusão feita com as folhas pode ser usada como estimulante do apetite ou digestiva e deve ser tomada na dose de um copo. O chá pode ser consumido também para acalmar problemas estomacais e tratar gastrites.

Para preparar o chá

O preparo do chá deve ser feito com duas colheres de sopa da erva cipó cravo para cada litro de água. Em um recipiente, coloque a água e leve ao fogo. Adicione a erva e deixe alcançar fervura. Quando isso acontecer, cronometre dez minutos e então desligue. Tampe a mistura e deixe descansar até amornar para, em seguida, coar e consumir. A dose indicada do chá feito com estas proporções da erva e de água é de duas a três xícaras ao dia.



Referências Bibliográficas:

• COIMBRA, R. Manual de Fitoterapia. 2ª edição. Cejup. 1994.

• ALBINO, R. Pharmacopeia dos Estados Unidos do Brasil. 1ª edição. 1926.

• Farmacopéia dos Estados Unidos do Brasil. 2ª edição. 1959.

• COSTA, A. F. Farmacognosia. Lisboa. Fundação Gulbenkian Calouste
1994.

Pedido Fone 43 3325 5103