Descrição: C:\Users\Ervas\Desktop\Ervas Londrina\index_arquivos\image002.jpg

Voltar ao menu principal

CAVALINHA

 

Descrição: http://bp2.blogger.com/_PwIAMs4Qbfg/RqpvAWoNhEI/AAAAAAAAAQU/G4gQHGY5kCE/s320/image034.jpg

Descrição: http://3.bp.blogspot.com/_EoWSCQ35FcE/SnykysOK1qI/AAAAAAAABYY/EiLPyuMmKpg/s400/cavalinha.jpg

Descrição: http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQ7af02LQxN10YMbwYQ7GYSDy58CXM3eigJyzMbogm0HGwE8axgRg

Descrição: http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSnDDKxdgLnjcCXI1Ov_aAtLFBsb4IBPXbxLBBSI5RH4bgCjL1-Eg

A cavalinha (Equisetum ssp.) pertence à família das equisetáceas. O seu nome é de origem latina, composto por "equi" (cavalo) e "setum" (cauda), ou seja, rabo de cavalo. Esta espécie também é conhecida como "milho de cobra", "erva carnuda", "rabo de rato", "cauda de raposa", entre outras. Considera-se que esta planta tem mais de 300 milhões de anos. Apresenta mais de 20 espécies, algumas de origem europeia, outras de origem americana, porém, todas têm características e usos semelhantes.

 

Características:

A cavalinha é uma planta perene. Não possui flores e, consequentemente, nem sementes; algumas espécies possuem folhas verticiladas. O caule é de cor verde, oco, com textura áspera ao tacto por causa da presença de silício e pode ser encontrado de duas maneiras: - o caule fértil, geralmente curto, surge no início da primavera. Apresenta na extremidade a espiga produtora de esporos, que serve para a sua reprodução, que, porém, também pode ocorrer através de rizomas.- o caule estéril, geralmente longo, surge depois que o caule fértil murcha. A sua composição química é formada por grande quantidade de silício e quantidades menores de cálcio, ferro, magnésio, tanino, sódio, entre outros. É adaptada a solos húmidos e por ser agressiva e persistente, deve–se cuidar para que não se torne uma erva daninha.

Aplicações terapêuticas:

A suas propriedades adstringentes, diuréticas e estípticas, auxiliam no tratamento de

- gonorreia,

-diarreias,

-infecções de rins e bexiga,

- estimulam a consolidação de fracturas ósseas,

- agem sobre as fibras elásticas das artérias,

- actuam em casos de inflamação e inchaço da próstata,

- aceleram o metabolismo cutâneo,

- estimulam a cicatrização e aumentam a elasticidade de peles secas, sendo indicada ainda para o combate de hemorragias ou cãibras, úlceras gástricas e anemias.

É usada também como hidratante profundo, ajuda a evitar varizes e estrias, limpa a pele, fortalece as unhas, dá brilho aos cabelos, auxilia no tratamento da celulite e também da acne. Com fins ornamentais é utilizada na composição florística de lagos decorativos, em áreas brejosas, etc...

Formas de utilização: Chá por decocção (operação que consiste em extrair os princípios activos de uma substância vegetal por contacto mais ou menos prolongado com um líquido em ebulição)

Ingredientes: 2 colheres de sopa de erva picada; 500 ml de água.Coloca-se a planta num recipiente com água fria, fervendo-se por 5 minutos contados a partir do momento do início da fervura. Côa-se e toma-se ainda quente.

Óleo para prevenir estrias: Coloca-se um ramo ou caule da cavalinha (já seca) num frasco pequeno de óleo de amêndoas. Deixa-se macerar por 30 dias e passa-se na pele, sempre após o banho.

Infusão para limpeza de pele: Coloca-se um pouco da planta (fresca ou seca) numa vasilha e despeja-se água a ferver. Abafa-se e deixa-se descansar por 10 minutos. Depois de fria, usa-se a infusão para limpar a pele utilizando-se um disco de algodão.

Para dar brilho aos cabelos e fortalecer as unhas Faça-se um chá com caules e folhas da cavalinha, deixe-se esfriar e use-se no enxaguar final dos cabelos. Para fortalecer as unhas, faça-se um chá mais concentrado, deixe-se amornar e mantenham-se as unhas imersas por cerca de 15 minutos.

Parte deste texto tem origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

Pedido Fone 43 3325 5103