image002

Voltar ao menu principal

CANABIS

 

Resultado de imagem para CANNABIS chá"

Resultado de imagem para CANNABIS chá"

Resultado de imagem para CANNABIS chá"

Como hacer un te de marihuana

Receita do chá de maconha e como conseguir o efeito desejado

Estejas ou não na Plaza Mayor de Madrid, pode ser que te apeteça uma infusão quente e relaxante. Tal e como existem milhares de infusões diferentes com especiarias e flores variadas, também é possível fazer um chá de maconha. Uma infusão de maconha tem efeitos que podem ser relaxantes, estimulantes ou as duas coisas ao mesmo tempo, ainda que tudo isto dependa dos efeitos da variedade de Canábis elegida e a sua interacção com os efeitos do chá. Tens vontade de provar uma chávena?

Receita de chá de maconha

Esta receita de chá de maconha é fácil de preparar e tem um sabor e efeito agradáveis. Para prepará-lo só necessitas de chá, maconha, manteiga e leite, a qual se é gorda melhor, dado que o THC se dissolve e se fixa com a gordura.

Efeitos da infusão de chá com maconha

O chá contém vários alcalóides e o principal e mais conhecido é a teína, a qual te produz uma sensação de estimulação tanto mental como física, com efeitos que podem ir desde um ligeiro aumento da energia até chegar à euforia. Em Portugal a palavra chá se utiliza tanto para falar da infusão feita com a flor do chá como para denominar outras infusões que se realizam com outro tipo de plantas ou frutos recolhidos e secos.

Pelo seu lado, a maconha, como já se sabe, pode ter efeitos muito variáveis, que podem ir desde a a profunda relaxação narcótica até uma euforia psicadélica. Temos, também, um artigo no qual ampliamos a informação sobre os efeitos da maconha. O principal princípio activo do canábis é o THC.

Depois de misturados chá e a maconha teremos uma combinação dos seus efeitos e os resultados são difíceis de prever mas é possível dizer que:

1.   Maconha relaxante + chá suave = relaxação

2.   Maconha estimulante + chá suave = estimulação

3.   Maconha relaxante + chá potente = relaxação e estimulação (pode ser cerebral e física)

4.   Maconha estimulante + chá suave = estimulação

Em qualquer dos casos um chá canábico com pequenas quantidades de maconha é muito perfumado, reconfortante e relaxante e a sua receita é muito fácil de preparar:

Ingredientes:

5.     Um bocadinho de cabeça (flor) De certeza que te estás a perguntar que quantidade mas a resposta é que isso varia em função da maconha e de quem a consome. Se não conheces a maconha que tens, o melhor é que aumentes a quantidade pouco a pouco.

6.     Uma colher pequena de manteiga.

7.     Chá. Existe uma quantidade incrível de chás diferentes: verde, de fruta, com especiarias, fortes, vermelho, misturas…

8.     Água, claro, para fazer o chá.

9.     Leite: melhor se usas leite gordapara que te ajude a fixar o THC (recorda que este não se dissolve em água, como indicamos no nosso artigo sobre como cozinhar maconha como um profissional). Em relação à quantidade, mais de um quarto de chávena é suficiente, mas podes utilizar mais. Lembra-te que nas receitas canábicas as gorduras têm um papel fundamental!

10. Mel à descrição (para adocicar, a quem goste).

Instruções para a preparação:

11.                       Primeiro deverás picar a maconha.

12.                       Coloca numa sertã uma colher de manteiga, adiciona a maconha e mistura bem. Cuidado que a temperatura não suba demasiado: é suficiente se a manteiga se derrete. Deixa repousar durante cerca de 5 minutos.

13.                       Numa chávena prepara o chá. Serve e adiciona o leite na proporção que mais te agrade, sempre a partir de um quarto de chávena.

14.                       Para dar-lhe o toque especial, adiciona a manteiga de maconha (podes consultar como prepará-la facilmente neste link) e mistura bem. O leite ajudará a que esta mistura fique com uma textura homogénea.

15.                       Se desejas evitar os pedacinhos verdes a flutuar na chávena recomendamos que filtres a manteiga previamente.

16.                       Se preferes o teu chá mais doce, adiciona mel. Recorda que é mais saudável que o açúcar e também existem imensas variedades: de castanha, de carvalho, do bosque de romeiro e muitos mais!

Recorda que os canabinóides têm uma especial atracção com as gorduras, pelo que esta é indispensável para a extracção de THC, também recomendamos que não exageres, dado que um chá que saiba a uma bola de gordura não vai ser particularmente saboroso.

Em relação ao efeito do chá feito com Canábis, é muito relaxante e não chega a ter a potência que tem um cacete. Há muita gente que o toma depois de sair do trabalho, outros para aquecer numa reunião entre amigos ou inclusive como digestivo ou para reduzir as dores. E, porque não, para lanchar acompanhado por algumas bolachas ou brownies de maconha!

A vantagem de uma infusão de maconha, quando comparada com outros métodos de consumo de Canábis, é que podes continuar a funcionar perfeitamente e trabalhar sem problemas (ainda que tudo isto dependa da quantidade de flores que utilizes e de quantas chávenas bebas!).

Além disso, como és tu que decides que chá utilizar, tens sempre a possibilidade de intensificar ou reduzir os efeitos. Não te esqueças que o chá é, por si só, um estimulante e que o chá preto te dá uma quantidade de energia importante, o que pode compensar o efeito narcótico da maconha. Para potenciar o efeito contrário, as infusões de valeriana, por exemplo, são relaxantes e misturadas com o chá de maconha podem ser uma combinação sedante.

Finalmente, tem em conta que o chá de maconha, como todos os chás, é uma bebida quente, ideal para o inverno, mas que também é delicioso para tomar frio, nos dias mais quentes do verão.

Para os que procuram outras bebidas canábicas, recomendamos desde o exótico bhang hindú aos saudáveis batidos com Canábis. E claro, no momento de fazer uma festa podes preparar os deliciosos cocktails

 de maconha

. Visita todas as nossas receitas com maconha.

Uso do cannabidiol para tratamento de epilepsia

17.                       O que é o cannabidiol?
A Cannabis sativa é uma planta que contém aproximadamente 60 compostos farmacologicamente ativos (figura 1). O cannabidiol é um destes componentes, foi identificado em 19631. Tem as características de ser não psicoativo (não causa alterações psicosensoriais) e de ter baixa toxicidade e alta tolerabilidade em seres humanos e animais2.

18.                       Como os canabinóides agem no cérebro?
Os canabinóides agem no corpo humano pela ligação com seus receptores. No sistema nervoso central o receptor CB1 é altamente expresso, localizado na membrana pré-sináptica das células3. Estes receptores CB1 estão presentes tanto em neurônios inibitórios gabaérgicos quanto em neurônios excitatórios glutamatérgicos4. O cannabidiol age no receptor CB1 inibindo a transmissão sináptica por bloqueio dos canais de cálcio (Ca2+) e potássio (K+) dependentes de voltagem3. Desta forma, acredita-se que o cannabidiol  possa inibir as crises (figura 2).

Figura 2. Molécula cannabidiol

Figura 2. Molécula cannabidiol

Já o maior derivado psicoativo da cannabis é o ∆9-tetrahydrocannabinol que causa efeitos psicosensoriais e atua como agonista parcial dos receptores CB1, estimulando-os5. 

19.                       Quais os primeiros casos relatados do uso de cannabidiol em seres humanos?
Em um estudo realizado na Escola Paulista de Medicina, Cunha et al. (1980) avaliaram o efeito do cannabidiol em 15 indivíduos com diagnóstico de epilepsia focal temporal com generalização secundária. Durante 4 meses, 8 destes receberam 200 a 300 mg de cannabidiol e os outros receberam placebo. Quatro dos indivíduos que receberam cannabidiol ficaram livres de crises, 3 melhoraram e em 1 a substância não modificou as crises epilépticas. Os 7 indivíduos que receberam placebo ficaram com suas crises inalteradas6.

20.                       O cannabidiol é realmente eficaz para tratamento das crises epilépticas?
Não há até o momento conclusão sobre a eficácia do cannabidiol no tratamento das epilepsias7. Há alguns relatos de estudos com poucos pacientes com resultados satisfatórios, porém são necessários estudos com maior número de pacientes para uma adequada avaliação da eficácia terapêutica desta substância em curto e longo prazos, assim como perfil de possíveis eventos adversos.  Na atualidade um estudo (ensaio clínico) está sendo realizado em crianças com epilepsia refratária ao tratamento medicamentoso nos EUA, mas os resultados ainda não foram liberados.

21.                       Qual a quantidade de cannabidiol presente nos produtos comercializados em alguns países?
A quantidade de cannabidiol é variável nos diversos produtos nos países em que é vendido. Veja a respeito  desse tema a tabela abaixo adaptada do artigo de Koppel et al. publicado na revista Neurology neste ano (2014) 1.

Quantidade de cannabidiol presente nos produtos comercializados em alguns paises

Quantidade de cannabidiol presente nos produtos comercializados em alguns paises

22.                       Quais estudos estão sendo realizados atualmente com o cannabidiol?
Em dezembro de 2013 o Food and Drug Administration (FDA) aprovou nos Estados Unidos o uso terapêutico do cannabidiol em pesquisas para tratamento de epilepsias refratárias em crianças. Um grupo da University of California e outro da New York University School of Medicine receberam autorização para iniciar suas pesquisas8.

Obs: Estou colocando essa informação a contra gosto, mas como é uma erva e é utilizada por grande parte da população, estou aqui expondo.