image002

Voltar ao menu principal

Barbatimão

 

Formas de Pagamento

 


Veja detalhes do pagamento

 

Resultado de imagem para barbatimão chá"

 

O Barbatimão é uma planta medicinal de origem dos cerrados brasileiro e que pode ser ingerida na forma de chá ou usada para tratamentos na pele. Ela é muito utilizada no tratamento de feridas, hemorragias, inchaço, hematomas e queimaduras na pele. E, também, é muito utilizada pelos amantes da medicina natural no combate à algumas doenças, por exemplo, malária, diabetes, úlceras, feridas causadas pelo HPV, corrimento vaginal, diarreia, pequenas hemorragias, hérnia, conjuntivite e gastrite.

O barbatimão possui ação cicatrizante, antioxidante, antimicrobiana, anti-inflamatória, antibacteriana, tônica, anti-hipertensiva, analgésica, antiparasitária, desinfetante, diurética e coagulante.

Além disso, estudos farmacológicos comprovaram a eficácia do uso dessa planta quando se trata do tratamento de infecções que envolvem três bactérias específicas Staphylococcus aureus que está diretamente relacionada a problemas como acnes, furúnculos, celulites e outras patologias. Staphylococcus epidermis que se relaciona à endocardite, à acne, ao furúnculo aos abscesso e outras patologias relacionadas ao estado de imunosupressão. Escherichia coli que é responsável pela candidíase.

Foi relacionando essas propriedades e pensando nos cuidados diários que você deve ter com a sua pele que a Eficácia desenvolveu o barbatimão em sabonete já que ele possui uma formulação especial responsável por manter a sua pele sempre higienizada, combater as inflamações e a indesejada proliferação de microorganismos que deixam a sua pele com menos brilho e uma aparência menos saudável.

E, você não precisa se preocupar se pode usar o não o produto por causa do seu tipo de pele, o sabonete desenvolvido pela equipe Eficácia pode ser usado em todos os tipos de pele sem nenhuma contraindicação.

Quais são os benefícios do sabonete?

  • Mantém sua pele sempre limpa e saudável;
  • Previne as irritações da pele;
  • Tem uma potente ação oxidante e hidratante;
  • Combate a psoríase, a acne, as coceiras e eczemas.

Não tenha dúvidas de que o sabonete de barbatimão é uma de suas melhores apostas para os cuidados diários com a sua pele e, além disso, ele pode ser usado em todos os tipos de pele e garante a limpeza, a leveza e a beleza de sua pele de forma natural e super saudável

Espécie típica do cerrado brasileiro esse é um dos nossos queridinhos.
Nome científico: Stryphnodendron adstringens
Partes utilizadas: folhas e casca

Trata-se de uma arvore de médio porte, suas folhas podem ser utilizadas para fazer compressas e cataplasmas ou também em forma de pomada para tratar feridas e queimaduras acelerando o processo de cicatrização. Porem suas propriedades concentram-se mais nas cascas dos troncos e galhos e na ginecologia natural é essa parte que vamos usar.
Estudos comprovam sua ação antibacteriana, antioxidante, analgésica, desinfetante,adstringente, diurética, coagulante, anti-inflamatória, anti-hemorrágica e antisséptica.
O chá de Barbatimão é ótimo para combater dores de garganta, gastrite e para tratar infecções em geral, especialmente a urinária.Tendo o mesmo efeito sob a forma de tintura.
Pode ser usado também como sabonete íntimo.


Mas o meu uso favorito é ……. o BANHO DE ASSENTO.

Manas, maravilhoso!! Trata o que? BUCETITES! Inclusive cistites.
Para candidíase é santo remédio levando ao alivio rápido dos sintomas.

O banho de assento com casca de barbatimão pode ser usado também após uma noite (ou dia, ou dias e noites rá) de sexo assim muito caliente quando a xoxota ta naquele misto de felicidade com pedido de arrego. Melhora o tônus vaginal e DIZEM que da uma bela apertada na vagina.

Ah, e é maravilhoso para cuidar dos períneos no pós parto normal, especialmente se houver lacerações, pontos e (infelizmente) episiotomia.

Como faz?


Por ser uma parte dura da planta deve ser preparado por decocção: ferve a água junto com um punhado de cascas por uns 15 minutos, desliga o fogo, tampa e deixa mais uns 10 minutos. O ideal é ficar bem concentrado. Coa, mistura um pouco de água mais fria pra dar uma amornada, bota na bacia e senta gostoso.
Por quanto tempo? Até esfriar ou mais, se você quiser.

Não deixa de aproveitar o momento meditativo pra entrar em contato com seu feminino. Lembra que isso (super) faz parte da cura.

PARTES USADAS: Cascas

ORIGEM DO PRODUTO: Brasil

DESCRIÇÃO:
O Barbatimão é uma árvore que pode medir entre 4 e 6 metros. Possui caule e ramos bastante tortos, com poucas folhas e é recoberta por casca de aspecto rugoso. Ocorre em terrenos arenosos ou argilosos bem drenados e pouco férteis. Sua casca a protege contra o fogo, o que é comum no ambiente em que vive. Rebrota após corte, persistindo em pastos onde se cria gado, a ponto de ser considerada, por pecuaristas, como daninha. A casca é bastante utilizada no curtimento de couro e possui propriedades cicatrizantes.

INDICAÇÃO: O chá de Barbatimão é adstringente e tônico, também é usado em inflamações do útero e ovários, hemorragia interna, cicatrizante, cistos, miomas, blenorragia, corrimento vaginal, úlceras, feridas,  afecções da garganta, colite, diarréia, hemoptises, hemorragia uterina.
Uso externo: Como cicatrizante e para lavagem íntima.


COMO FAZER: Coloque 2 colheres de sopa para um litro de água.
Deixe cozinhar por cerca de 10 minutos a partir do momento em que se inicia a ebulição, após esse tempo, retire do fogo e deixe repousando, tampada, por 10 minutos. Coe e está pronto para o uso. 

COMO BEBER: Tomar de 2 a 3 xícaras ao dia. 

Uso externo: Coloque 1 colher de sopa da casca em 1 litro de água morna, para uso sob a forma de banhos, gargarejos, lavagens vaginais e uterinas.  


Pesquisadores da UFF usam planta medicinal brasileira contra veneno da surucucu

Uma pesquisa apresentada na manhã de hoje (20) pela Universidade Federal Fluminense (UFF) revelou que o barbatimão, uma planta medicinal da biodiversidade brasileira, pode neutralizar o veneno da cobra surucucu. A descoberta dessa propriedade do barbatimão pode significar um antídoto quase 50% mais barato do que o soro antiofídico usado atualmente.

De acordo com o orientador do estudo, o biomédico e professor do Instituto de Biologia da UFF André Lopes Fuly, a surucucu “é uma serpente que, apesar de registrar número de acidentes no Brasil pequeno [2% do total de mais de 49 mil casos registrados entre 2001 a 2006 pelo Ministério da Saúde], quando comparada com jararaca, responsável por 90% dos ataques, o índice de letalidade dela é bastante expressivo, três vezes mais letal que o da jararaca”.

Fuly destacou ainda que o baixo número de acidentes também compromete a produção do soro para o veneno da surucucu. Para o biomédico, a escassez de pesquisas é apenas um dos aspectos que justificam a busca por alternativas antiofídicas.

“O soro é produzido por três laboratórios públicos no Brasil [Instituto Vital Brazil, em Niterói; Instituto Butantan, em São Paulo, e Fundação Ezequiel Dias, de Belo Horizonte] e tem vantagens e desvantagens, como qualquer outro tratamento. A vantagem é que, apesar do índice elevado de acidentes [com cobras], o número de óbitos é baixo. Mas as desvantagens são importantes, como as reações alérgicas dos pacientes [de 30% a 40% dos casos], que podem evoluir para o óbito, o processo de produção e logística de transportes é caro e, ainda, o soro não reverte os efeitos do veneno com 100% de eficácia”, explicou Fuly.

A tese desenvolvida pelo pesquisador Rafael Cisne de Paula, sob a orientação do biomédico, revelou ainda que o barbatimão, já reconhecido pela Agência Nacional de Saúde (Anvisa) como medicamento fitoterápico com propriedades cicatrizantes e antidiarreicas, foi eficiente também na inibição do veneno da surucucu, mesmo depois de submetida ao aquecimento de 80 graus Celsius (°C).

“Trinta gramas [da planta] podem ser compradas, na internet, por R$ 5,00. Dez gramas é uma quantidade razoável para fazer o chá e guardar, já que [o chá] não requer tantos cuidados como o soro para armazenamento. Isso já reduz muito o custo da logística e da produção”, explicou o orientador do estudo.